A Play Store é o mais conhecido lar de aplicativos quando se trata do Android.


 

A plataforma de distribuição de apps tem uma longa história de transformações e crescimento até atingir o estado atual, quando chega ao patamar de ser acusada de monopolizar a comercialização de aplicativos no ecossistema Google.

1. Android Market: começo modesto com 13 apps

Se olhar para trás, dá para ver que nem tudo era grande. A Play Store não foi lançada com esse nome, já que em 22 de outubro de 2008 ela veio ao mundo como Android Market. Era o início da era dos smartphones, então o Google era bem menos ambicioso em seus planos — na estreia, existiam apenas 13 aplicativos na lojinha.

Hoje, dá para encontrar um registro histórico do anúncio da loja no Android Developers Blog, um canal de comunicação do Google com desenvolvedores. Naquele período, para se tornar um desenvolvedor registrado, era necessário desembolsar US$ 25 e só depois começar a distribuir apps. A comissão de 30% já existia na época, mas o Google dizia não ficar com nenhuma parte do valor.

Foi em 2012 que a companhia decidiu retrabalhar a plataforma e transformá-la na grande Google Play Store. O evento aconteceu devido à fusão da plataforma com o Google Music e o Google eBookstore.

2. Quantos apps existem na Play Store?

Partindo para o presente, é bem óbvio que a Play Store tem muito mais do que 13 aplicativos disponíveis, né? A plataforma, no primeiro trimestre de 2021, registrou 3,5 milhões de softwares disponíveis para download, segundo dados do site Statista. O mês recorde, porém, aconteceu em março de 2018, com 3,6 milhões de títulos.

Em comparação com a rival App Store, da Apple, o Google tem um catálogo bem maior. Na loja vizinha, estavam disponíveis 2,22 milhões de aplicativos no primeiro trimestre deste ano — o que é natural, considerando que a Maçã é mais rigorosa no processo de avaliação de apps.

3. Quantos downloads são feitos na Play Store?

Somente em 2020, usuários baixaram aplicativos da Play Store 108,5 bilhões de vezes. O número cresce a cada ano, então espere um aumento significativo também em 2021.

4. Qual é a categoria de aplicativos mais popular da Play Store?

Como a busca do CT por apps temporariamente gratuitos sempre mostra, games estão em grande peso na Play Store. Em volume de downloads, o segmento supera o total das demais categorias somadas, conforme mostram os registros do primeiro trimestre de 2019 do Statista — o que inclui entretenimento, ferramentas, comunicação e apps sociais.

Na App Store, o mesmo acontece: games ocupam 21,40% do total de aplicativos ativos. Casuais ou competitivos, jogos têm um enorme potencial no mundo mobile.

5. Qual o valor médio de apps pagos na Play Store?

Com dados do AppBrain, o custo médio por aplicativo (exceto jogos) fica em US$ 6,30 (R$ 33 em conversão direta) — sozinhos, games em média custam US$ 4,70 (R$ 25). No geral, portanto, os números se encontram em US$ 6 (R$ 30).

Apesar de usuários consumirem mais na loja vizinha, apps pela App Store tendem a ser mais baratos, segundo dados do PocketGamer. Por lá, o preço médio por app é de apenas US$ 5,50 (R$ 29), enquanto para jogos é US$ 2,80 (R$ 15). No todo, a média fica em US$ 4,90 (R$ 25).

6. Quantos jogos existem na Play Store?

O catálogo da loja de Android é extenso para gamers de plantão: 365 mil títulos estavam disponíveis na plataforma em 2020, levantou o AppBrain. Assim como o total de aplicativos, o número já foi maior (em 2018, chegou a 605 mil), mas o pente fino do Google de 2018-2019 eliminou os títulos de qualidade duvidosa e deu uma reduzida significativa na vitrine.

7. Qual a proporção de apps gratuitos e pagos na Play Store?

Optar por métodos de monetização posteriores ao download, como propagandas, assinaturas e “versões premium”, aparentemente é a preferência geral de devs na Play Store. Assim, 96,21% dos programinhas mobile disponíveis na plataforma são gratuitos, enquanto somente 3,79% têm download condicionado a um pagamento, conforme mostra o AppBrain, em coleta registrada em maio de 2021.

8. Qual o app mais baixado da Play Store?

De forma nada surpreendente, o Google é a empresa que lidera o pódio de aplicativos mais baixados da própria loja. O primeiro software a atingir o incrível marca de 10 bilhões de downloads foi o Google Play Services, o utilitário que dá vida a vários dos aplicativos da companhia no ecossistema Google.

Em segundo lugar, está outro app do Google: o YouTube. Em julho de 2021, o app de streaming bateu a enorme quantidade de downloads na Play Store e é, sem dúvidas, uma das marcas mais conhecidas da companhia.

9. Quanto o Google lucra com a Play Store?

Muito, mas muito dinheiro. Segundo informações do Statista, o Google aumenta a cada ano sua receita significativamente na loja de apps. Em 2020, os ganhos alcançaram incríveis US$ 38,6 bilhões (mais de R$ 190 bilhões, de acordo com a cotação atual), a partir de compras de apps, aquisições dentro de apps e assinaturas.

Contudo, a Apple segue na dianteira quando o assunto é receita anual: a plataforma vizinha acumulou US$ 72,3 bilhões (R$ 378 bilhões) somente em 2020. A App Store pode ter menos aplicativos do que a loja do Android, mas os usuários da Maçã tem disposição bem maior para abrir a carteira.

Se seguir esse caminho, a loja do Google continuará em crescimento constante por muito mais tempo, então os números vão mudar a todo instante. Nesse meio tempo, a estratégia da companhia pode mudar, portanto, é bem provável que a Play Store não seja exatamente essa que o mundo conhece para sempre.

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário!
Please enter your name here