Atualizações forçadas do Windows 10 não resolvem a fragmentação do sistema

0

A empresa AdDuplex divulgou seu relatório de mercado com a participação das diferentes versões do Windows 10.


 

Apesar da popularização da atualização mais recente — lançada em outubro — a edição mais popular do sistema continua sendo a de abril de 2020. Um detalhe que chama a atenção, porém, é que a versão 1909 (da segunda metade de 2019) também registrou um forte aumento de uso.

O estudo foi realizado entre cerca de 100.000 computadores usando o sistema operacional, com base em aplicativos que utilizam o sistema de anúncios da AdDuplex. A atualização do Windows 10 de outubro saltou de 1,7% de participação no mês passado para 8,8%.

Enquanto isso, a atualização de maio de 2020 registrou uma leve queda, indo de 37,7% para 37,6%. Outra edição que perdeu participação foi a do início de 2019, que caiu mais de dez pontos percentuais (de 22% para 10,2%).

A migração da versão 1903 se deu não apenas para as edições de 2020, como também para a 1909, da segunda metade de 2019. A atualização de novembro do ano passado teve um salto de participação de 32,4% para 36,4% desde o mês passado.

Apesar de já ter um ano de vida e duas versões mais modernas, a edição 1909 ganhou espaço graças à atualização forçada de instalações da versão 1903 para ela. A decisão da Microsoft de não trazer estes PCs para um Windows 10 mais atual pode ser entendida pelo uso do sistema em empresas, mas acaba provocando uma fragmentação de versões.

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário!
Please enter your name here