Super carregamento: Google desenvolve chip poderoso com AV1 para o YouTube

0

Durante a pandemia, os gastos com aplicativos aumentaram em 40%, e o YouTube liderou esse processo, e o Google parece estar buscando manter essa popularidade.


 

Chips customizados de fato podem mudar a desenvoltura de uma empresa de tecnologia, é o que vimos com a Apple e o M1. Agora, a Gigante de Buscas decidiu desenvolver uma segunda geração potente do Argos, um chip próprio customizado que tem como objetivo entregar mais qualidade de vídeo por menos uso de banda larga e dados móveis.

De acordo com o portal CNET, centenas de chips Argos de segunda geração já estão funcionando nos data centers do Google. Se você precisar fazer o upload de um vídeo em resolução 4K no YouTube, a partir de agora o conteúdo pode ficar pronto em horas ao invés de dias.

Para desenvolver o Argos, o Google contou com um time de 100 engenheiros dedicados desde 2015, conforme o vice-presidente da empresa, Scott Silver. O chip de segunda geração pode realizar uma compressão de vídeo muito mais eficiente, em vários formatos e com otimizações para diferentes tamanhos de tela.

Considerando o trabalho árduo de decodificar vídeo para o YouTuve, o Argos deve trazer mudanças muito significativas. A cada minuto, cerca de 500 horas de vídeo são publicadas na plataforma. Segundo o Google, o novo chip deve lidar com essa quantidade de upload de maneira 20 a 33 vezes mais eficiente que servidores convencionais.

Isso só é possível porque a segunda geração do Argos conta com suporte ao codec AV1, desenvolvido em 2018 pela Alliance for Open Media, que detém o controle de configuração dos principais streamings do mercado, como Netflix, Google, Amazon Prime Video e outros.

O AV1 é uma substituição ao VP9 e oferece transmissão de vídeos 30% melhor compactados, de maneira mais rápida. Com isso, O Google deve conseguir entregar melhor qualidade no serviço do YouTube com custos reduzidos.

Diversas empresas e serviços já contam com o AV1, como o Google Chrome, Fotos, Meet e Android TV. Redes sociais como Facebook e Vimeo também utilizam o codec como base para compressão.

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário!
Please enter your name here