Presidente do STF obriga operadoras de telefonia a pagarem R$743 mi para Ancine

0

Operadoras de telefonia são obrigadas a pagar 742,9 milhões de reais a título de um crédito tributário para a Agência Nacional de Cinema (Ancine), atendendo pedido feito pela Advocacia-Geral da União .



Toffoli suspendeu os efeitos de uma decisão anterior, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1), que havia suspendido o pagamento do crédito da Condecine — contribuição que incide sobre a exploração comercial de obra audiovisuais em cada segmento.

O TRF-1 tinha acatado recurso impetrado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil). A entidade havia alegado que não tinha como arcar com pagamento do crédito que venceria no dia 31 de março, referente ao ano de 2019, por terem sido surpreendidos e gravemente atingidos pelas consequências da pandemia do coronavírus.

A AGU, que representou a Ancine no STF, contestou o fato de que a liminar dada pelo tribunal regional afrontava uma decisão anterior do próprio Supremo. Disse que a pandemia não pode ser usada como argumento para se recorrer novamente à Justiça e destacou ainda que parte dos recursos do Condecine será destinado para a área da saúde, bem como para o combate dos efeitos econômicos do Covid-19.

Em sua decisão, Toffoli disse que, apesar de ter havido fatos supervenientes que poderiam justificar a liminar do TRF-1, não se pode ignorar que ela afrontou decisão anterior do Supremo.

“Ante o exposto, defiro o pleito subsidiário desta reclamação, para suspender os efeitos da decisão…que deferiu o pedido de suspensão da exigibilidade do crédito tributário decorrente da cobrança de Condecine, referente ao ano base 2019, pelas empresas filiadas ao sindicato autor da impetração”, determinou Toffoli.

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário!
Please enter your name here