Novos relatos do New York Times indicam que a Meta – anteriormente conhecida como Facebook, está planejando abrir lojas físicas em todo o mundo.


 

A ação teria como objetivo introduzir as pessoas aos dispositivos produzidos pela companhia, como os óculos de realidade aumentada e os fones de ouvido de realidade virtual.

Os dispositivos comercializados, segundo a própria empresa, seriam a porta de entrada para o tão falado metaverso, um ambiente virtual onde os usuários poderiam trabalhar, jogar, aprender e interagir com amigos e familiares.

Ainda segundo o jornal estadunidense, os documentos resgatados indicam que as conversas sobre as lojas físicas começaram no ano passado, muito antes da repaginação da marca do Facebook, e apesar do projeto ainda estar em andamento, ele pode não ir a frente.

Atualmente, a Meta já tem experimentado locações físicas, com pequenos quiosques localizados em aeroportos de Nova Iorque para demonstração dos produtos da Oculus. Segundo os documentos vistos pelo Times, o objetivo das grandes lojas seria proporcionar um mundo “mais aberto e conectado”, assim como oferecer um ambiente mais convidativo onde a experimentação dos produtos poderia ser feita sem julgamentos.

Apesar de supostamente ter escutado pessoas com conhecimento dos planos da empresa sobre a nova estratégia, um porta-voz da Meta afirmou na última sexta-feira (5) que a companhia não podia confirmar nenhum planejamento para as lojas físicas.

Apesar de ser um experimento novo para o Facebook, outras gigantes da tech como Amazon, Microsoft e Apple já dispõem de lojas físicas ao redor do globo para mostrar seus produtos. Com isso, não seria estranho que a Meta quisesse alcançar o mesmo patamar.