Home Office: 18 Dicas Para Você Trabalhar Melhor De Casa

0

O home office é o trabalho remoto, uma realidade para cada vez mais profissionais em todo o mundo. É uma oportunidade para você cumprir suas tarefas com maior conforto e autonomia em sua casa e uma vantagem para a empresa que deseja eficiência e redução de custos.


O home office já provou que a independência do escritório é possível.

Cada vez mais, as empresas estão reconhecendo as vantagens desse modelo flexível que faz os funcionários mais felizes e traz ótimos resultados.

Afinal, quem não quer autonomia para trabalhar de onde quiser e definir seus próprios horários?

Mas calma lá: o home office também tem seus percalços.

Por isso, é melhor avaliar bem os prós e contras antes de seguir por esse caminho.

E, depois, planejar bem essa mudança.

Criei este guia especialmente para isso, e todas as dicas foram testadas e aprovadas.

Então, quer descobrir se o home office é para você?

Ao fim desta leitura, tenho certeza que você estará preparado para tomar essa decisão – e render ao máximo trabalhando em casa.

O home office é uma tendência global que já está conquistando empresas e profissionais no Brasil.

Também chamado de trabalho remoto, teletrabalho e trabalho à distância, essa modalidade permite que os profissionais trabalhem de qualquer lugar.

Basta uma conexão à internet e ferramentas de comunicação para cumprir o expediente sem colocar os pés na empresa ­– e, em muitos casos, sem sair de casa.

Mas será que os brasileiros se adaptam bem a esse modelo flexível de trabalho?

Um estudo realizado em 2017 pelo espaço de coworking Spaces, publicado no Brasil Econômico, revela que 55% dos 900 profissionais consultados no país já trabalham em home office uma vez por semana.

Os números condizem com a pesquisa mundial Global State of Remote Work, realizada pela OWL Labs em 2018, que aponta modalidades e possibilidades de trabalho remoto em 56% das empresas.

Inclusive, os profissionais sul-americanos são 67% mais propensos a trabalhar à distância em período integral.

Ou seja: o Brasil é um terreno fértil para o desenvolvimento do home office e do trabalho flexível.

5 Coisas que você precisa saber antes de começar

Trabalhar à distância pode parecer um sonho para muitos, mas também tem seus desafios.

Por isso, antes de se aventurar nesse modelo de trabalho, é melhor saber onde está pisando.

Aqui vão algumas verdades sobre o home office:

Home office não significa somente trabalho em casa

Este é o primeiro mito que precisa ser derrubado: home office não significa, necessariamente, trabalhar sem sair de casa.

Por exemplo, há várias profissões em que o trabalho remoto ocorre em trânsito, em locais como cafés, aeroportos, parques e hotéis pelo caminho.

Aliás, o profissional também pode escolher trabalhar em um escritório compartilhado (coworking), ao invés de montar seu espaço em casa.

As vantagens dos espaços compartilhados são a oportunidade de fazer networking, trocar conhecimentos e evitar o isolamento típico do home office.

Não é para todo mundo

Obviamente, não são todas as funções que permitem o trabalho remoto.

Há cargos de gestão que exigem a presença do profissional para reuniões constantes, interações e tarefas de supervisão, por exemplo.

Para colaboradores, o home office só funciona se a empresa tiver a estrutura necessária para essa modalidade.

Ou seja: as ferramentas de comunicação online têm que dar conta de todas as tarefas e responsabilidades do cargo.

Além disso, você precisa ter um ambiente favorável em casa, uma família disposta a colaborar e um escritório adequado.

Home office não é um jeito fácil de ganhar muito trabalhando pouco

Não existe trabalho home office que renda altos ganhos em poucas horas.

Por isso, se você já recebeu uma dessas ofertas de “renda extra sem sair de casa” com valores tentadores, saiba que a maioria é enganosa.

O trabalho remoto de fato costuma ser ainda mais intenso, pois não tem as interrupções típicas do escritório.

Se você for autônomo ou freelancer e ganhar por entrega, é provável que se dedique ainda mais ao trabalho.

Além disso, é fácil ultrapassar a linha tênue entre o trabalho e a vida pessoal no home office.

Por isso, muitos trabalhadores remotos acabam se estressando com a sobrecarga de tarefas e a dificuldade em “desligar” do expediente.

Nem todo dia é dia de home office

Quando você trabalha em home office para uma empresa, dificilmente passará muito tempo longe do escritório.

Normalmente, o trabalho remoto é liberado entre uma e três vezes na semana.

Mesmo nos casos em que ocorre 100% à distância, é preciso comparecer a reuniões presenciais semanalmente ou quinzenalmente.

Esses encontros periódicos são importantes para manter o alinhamento com as estratégias da empresa e os vínculos com as pessoas.

Afinal, o fator humano ainda é insubstituível nas relações de trabalho.

Pijama e pantufa não combinam com home office

Se você acha incrível a ideia de trabalhar de pijama e pantufa na frente do computador, é porque nunca colocou em prática.

Pode ser divertido em um primeiro momento, mas as roupas têm grande influência sobre o nosso comportamento e disciplina.

Uma atitude desleixada pode gerar negligência nas tarefas e comprometer a seriedade, mesmo que de forma inconsciente.

Por isso, se quiser entregar um trabalho de qualidade e continuar no home office, é melhor se vestir como se estivesse no escritório.

As vantagens do Home Office

Se você encarou as verdades do home office e continua interessado, está na hora de conhecer seus privilégios.

Veja quais são as principais vantagens dessa modalidade:

Para o profissional

As palavras-chave do home office na vida profissional são “liberdade” e “autonomia”.

Para começar, o trabalho remoto permite que você defina seus próprios horários, métodos e critérios.

Assim, você pode trabalhar no período em que se sente mais produtivo, traçar suas metas e ser seu próprio “chefe”.

A independência também é uma chance de entregar seu melhor em cada projeto, trabalhando com foco total e sem interferências externas.

Além disso, há uma redução de custos expressiva e tendência a aumentar os rendimentos, se você tiver a organização e disciplina necessárias.

Na área pessoal

Na área pessoal, o home office é uma excelente oportunidade de ficar mais perto da família e reduzir o estresse.

Considerando que o paulistano perde quase três horas por dia no trânsito caótico, segundo o Ibope Inteligência, é óbvio que o trabalho remoto é um paraíso para a saúde mental.

Além disso, você ainda pode ter uma alimentação caseira e saudável, manter o espaço organizado do seu jeito e brincar com o cachorro na pausa do café.

Inclusão na Reforma Trabalhista

Com a Reforma Trabalhista de 2017, finalmente o home office foi reconhecido como uma modalidade legal de trabalho.

Graças à nova lei, mais empresas brasileiras estão adotando o modelo para melhorar a qualidade de vida dos funcionários e aumentar a produtividade.

Para o diretor de RH da Bosch, Fernando Tourinho, é uma questão de tempo até que as empresas percebam que é possível ser eficiente trabalhando de outras formas.

Em entrevista à Veja, ele reforça a política da empresa de ampliar a flexibilidade conforme a legislação permite, adotando o trabalho remoto, part-time e horários flexíveis.

Segundo a Lei 13467, o trabalho remoto funciona igual ao CLT: 44 horas semanais, controle de horas extras e benefícios previstos.

A única diferença é que empresas e funcionários precisam entrar em um acordo sobre o fornecimento e manutenção dos equipamentos de trabalho.

Além disso, o controle da jornada é realizado a partir da produtividade.

Home Office na visão da empresa

O home office também é altamente vantajoso para a empresa, tanto na redução de custos quanto nos ganhos de produtividade e engajamento.

A Dell, por exemplo, já conta com 25% dos colaboradores trabalhando à distância e relata à CNN Money uma economia de US$ 12 milhões por ano em custos de aluguéis.

Outro exemplo é uma pesquisa da Indeed que mostra os principais benefícios do home office para as organizações:

  • Aumento do engajamento (57%)
  • Redução da taxa de turnover (52%)
  • Redução da taxa de absenteísmo (50%)
  • Economia em custos operacionais (50%)
  • Redução nos custos com benefícios (31%).

Logo, as empresas só têm a ganhar flexibilizando seus métodos de trabalho, principalmente no quesito engajamento.

Com a opção de home office, é possível reter os melhores talentos e contar com profissionais mais motivados, comprometidos e – quem diria – envolvidos com a empresa.

6 Regras de ouro para seu Home Office funcionar melhor que o escritório convencional

Se o objetivo é trabalhar em casa, a experiência tem que ser mais produtiva e gratificante do que no escritório.

Por experiência própria, recomendo que siga essas dicas.

1. Evite interferências

Nossa casa é um lugar repleto de distrações e interferências, que serão os seus principais desafios.

Para começar, você precisa contar com a colaboração dos seus familiares, deixando claro que não pode ser interrompido durante o expediente.

E, claro, nada de se perder entre notificações e redes sociais, que são as interrupções mais perigosas.

Se você ainda não usa o News Feed Eradicator para o Facebook, recomendo fortemente.

2. Escolha um local silencioso

Seu escritório deve ser montado no cômodo mais silencioso da casa, de preferência isolado dos demais.

É preciso que seja um local limpo, organizado e tranquilo, que geralmente é mais confortável do que o escritório da empresa.

Vale lembrar aos familiares que música alta, televisão no último volume e furadeira no horário comercial não são boas ideias.

3. Tenha internet e backup

Dica séria: use o dinheiro que você economiza com transporte e alimentação para pagar o melhor serviço de internet.

Velocidade e estabilidade serão fundamentais para agilizar seu trabalho e garantir a comunicação e troca de arquivos com a empresa.

Essa dica é especialmente válida se você trabalha em plataformas colaborativas com outras pessoas da equipe.

O backup continua sendo obrigatório, mas melhor ainda é trabalhar diretamente na nuvem.

4. Tenha as ferramentas em mãos

Para trabalhar em casa, você precisa estar muito bem equipado.

Isso significa ter uma excelente estação de trabalho, com móveis ergonômicos e um computador à altura.

Além disso, é bom ter equipamentos como câmeras e microfones de qualidade para melhorar a experiência das conference calls.

5. Cumpra seu horário

O expediente em casa tem que ter um horário de início e fim, seja qual for o período escolhido.

Se precisar resolver algo durante o expediente, programe os horários como se estivesse no escritório, fazendo hora extra se for necessário.

Sem um horário fixo, você pode perder o controle dos limites entre a vida pessoal e profissional, além de comprometer seu rendimento.

Se você trabalha para uma empresa, provavelmente terá que cumprir alguns horários para participar de reuniões e entregar projetos.

Agora, se você é autônomo, é ainda mais importante manter uma rotina para não acabar trabalhando demais – ou de menos.

6. Mexa-se

Nada de ficar oito horas sentado na cadeira só porque está em casa.

No escritório, estamos sempre em movimento, seja na saída para o almoço, nas pausas para o café ou conversas com colegas em outras áreas.

No home office, a tendência é trabalhar mais intensamente e sem interrupções.

Por isso, você precisa fazer pausas para se alongar e cuidar da postura, evitando longos períodos sem se mexer.

Aliás, aproveite sua independência para incluir atividades físicas na rotina, no horário em que estiver mais disposto.

7 Itens que não podem faltar no seu Home Office

Agora vamos às dicas práticas para montar sua estação de trabalho em casa.

Confira o que não pode faltar.

1. Suporte para laptop

O suporte para notebook é fundamental para ajustar a altura da tela de forma que sua postura fique correta.

Melhor ainda se o suporte incluir um cooler, que manterá sua máquina sempre resfriada e evitará problemas como lentidão e instabilidade.

Além disso, as temperaturas altas podem encurtar a vida útil do seu notebook, o que torna o suporte um investimento no seu patrimônio.

2. Teclado externo e mouse

Nada mais desconfortável do que ter que digitar no próprio teclado do notebook, principalmente se ele estiver sobre um suporte.

Por isso, você precisa incluir um teclado externo e um mouse na sua estação de trabalho.

Além de favorecerem a ergonomia, esses periféricos evitam o desgaste do notebook e reduzem os riscos de superaquecimento.

E, claro, será o fim daqueles esbarrões acidentais no mousepad que atrapalham seu rendimento.

3. Monitor

Um levantamento feito pela Samsung revela que o uso de dois monitores aumenta em 28% a produtividade dos usuários.

Durante o teste, quem usou o monitor extra conseguiu reduzir o tempo para a realização das tarefas, graças ao conforto e à facilidade proporcionados.

Naturalmente, um monitor a mais aumenta sua área de visualização e torna o trabalho mais rápido e eficiente.

Um exemplo: você pode manter as referências necessárias para a execução de uma tarefa em um dos monitores e a produção de fato no outro.

4. Fone de ouvido

Um bom fone de ouvido não pode faltar no seu escritório.

Se você trabalha com audiovisual, o uso do equipamento é óbvio, mas também existem outras funções.

Há muitas pessoas que trabalham melhor ouvindo música, por exemplo, e podem se beneficiar dessa experiência imersiva.

Além disso, é uma saída para fugir de ruídos inevitáveis, como a reforma do vizinho.

5. Cadeira

Não adianta investir tudo em eletrônicos de última geração e comprar uma cadeira qualquer.

Sua cadeira é a principal responsável pelo nível de produtividade, pois garante o conforto e ergonomia necessários para manter a atenção e energia.

Ao escolher esse móvel, pense no investimento em longo prazo na sua saúde e qualidade de vida.

Você pode optar por cadeiras específicas para escritório, com regulagens de braço e altura, ou cadeiras gamer, que oferecem ainda mais conforto e adaptabilidade.

6. Bloco de notas

O bloco de notas é apenas uma sugestão genérica para ferramentas de anotações.

Você pode preferir um documento digital, post-its ou um planner, desde que tenha um modo de manter registros diários de tarefas, pendências e ideias.

Assim como no escritório, você passará por momentos com grande fluxo de trabalho e terá que se lembrar de todos os detalhes para não perder prazos.

Logo, as anotações rápidas são essenciais no dia a dia.

7. Calendário

Por fim, o home office exige ainda mais organização e planejamento para que todas as tarefas sejam cumpridas dentro do prazo.

Diferentemente do escritório, ninguém estará controlando sua agenda ou supervisionando suas ações.

Por isso, você precisa de um calendário, agenda, planner ou mesmo bullet journal para manter os compromissos e tarefas em dia.

Google Agenda é uma boa ferramenta para organizar datas de reuniões e entregas, por exemplo.

Conclusão

Depois desse verdadeiro manual do home office, você já deve ter uma boa ideia de como será a experiência fora da empresa.

Não há dúvida das vantagens: maior liberdade de atuação, flexibilidade de horários, adaptabilidade de rotina e uma saudável fuga daquele trânsito até o trabalho.

Mas não deixe encarar o home office a sério, sob o risco de comprometer seu rendimento.

Para que o trabalho remoto valha a pena, você precisa ser capaz de imprimir seu próprio ritmo de produção e manter o foco nas tarefas.

Além disso, não pode abdicar de muita disciplina, dedicação e talento para a autogestão.

Agora cabe a você decidir se está pronto para encarar o home office.

E começar a planejar essa mudança de ares.

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário!
Please enter your name here