Erik Finman, estadunidense autointitulado “milionário do bitcoin”, revelou o Freedom Phone, um celular criado em resposta às “empresas que atacaram os conservadores americanos”.


 

Segundo o próprio, e que oferecerá todos os apps banidos de plataformas populares, como o Android e iOS, em uma nova loja de aplicativos “sem censura”.

O Freedom Phone é fabricado em parceria com a chinesa UMIDIGI, e executa um sistema operacional chamado FreedomOS que, embora baseado no Android, traz diversos softwares pré-instalados e passou a ser comercializado com um preço exorbitante.

O contexto da criação desse smartphone remonta às eleições presidenciais de 2020 dos Estados Unidos, quando o Google removeu o aplicativo Parler da Play Store devido à falta de moderação de conteúdo. O Facebook, Instagram e Twitter, em paralelo, baniram as contas oficiais de Donald Trump em janeiro, após os ataques ao Capitólio dos Estados Unidos.

De acordo com Finman, de 22 anos, o Freedom Phone ajudará os usuários a evitar restrições de tais empresas. O vídeo de anúncio menciona especificamente o banimento do ex-presidente e a nova loja de aplicativos “PatriApp Store”.

A PatriApp Store é similar à Aurora Store, uma interface de código aberto baseada na Play Store — isso significa que todos os aplicativos dessa plataforma são originários da própria loja de apps do Google. Na prática, a empresa de Finman não teria qualquer controle sobre o conteúdo, portanto, não poderia garantir que não será “censurada”.

Ainda em análise mais aprofundada sobre o conteúdo de divulgação, o layout do sistema é incrivelmente parecido com o LineageOS, distribuição em código aberto do Android.

Embora a página oficial do celular seja escassa em detalhes a respeito de sua ficha técnica, ao analisar seu design, é imaginável que o Freedom Phone seja uma versão reformulada do UMIDIGI A9 Pro, um smartphone com preço sugerido de US$ 179 (~R$ 916). O aparelho de Finman tem preço anunciado de US$ 499, isto é, cerca de R$ 2.553.

Baseado nas informações adquiridas sobre esse aparelho, é possível afirmar que se trata de uma versão supervalorizada de um smartphone de entrada, contando com o sistema operacional LineageOS e uma falsa promessa de privacidade.

Matthew Hickey, cofundador da empresa de cibersegurança Hacker House, afirma que o Freedom Phone não passa de um modelo customizado. “Esses modelos podem ser comprados e enviados a granel da Ásia com logotipos personalizados e marca, de modo a dar a aparência de um telefone que foi projetado para um propósito único”, explica.

  • Tela IPS LCD de 6,3 polegadas com resolução FHD+
  • Display com entalhe
  • Plataforma MediaTek Helio P60
  • GPU Mali-G72 MP3
  • 8 GB de RAM
  • 128 GB de armazenamento interno
  • Câmera frontal de 24 MP
  • Quatro câmeras traseiras:
    • Lente principal com sensor de 48 MP
    • Lente ultrawide com sensor de 16 MP
    • Lente de profundidade com sensor de 5 MP
    • Lente macro com sensor de 5 MP
  • Dual-SIM, conexão 4G, e leitor biométrico na traseira
  • Bateria de 5.000 mAh com carregamento de 10 W
  • Dimensões: 158,7 × 74,9 x 8,6 mm
  • Peso: 205 gramas

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário!
Please enter your name here