Hacker rouba R$ 2,7 milhões ao invadir conta de hotel no Booking

0

Meio milhão de euros em falsas reservas. Foi o que ganhou um hacker ao invadir a conta de um hotel de Lisboa, em Portugal, no aplicativo Booking.com.


Com reservas falsas, o cibercriminoso embolsou cerca de R$ 2,7 milhões, na cotação desta terça-feira (12), com a moeda europeia vendida a R$ 5,46.

O hacker invadiu a conta do Marino Boutique Hotel e se passou pela empresa, entrando em contato direto com os clientes que faziam reservas. Assim, ele enviava um link de pagamento. Acreditando ser autêntico do hotel, as pessoas pagavam e o invasor desviava os valores. Obviamente, as reservas também não eram feitas.

Foi assim que os turistas começaram a ligar, no último mês, para o hotel e reclamar. O hacker deixou o estabelecimento sem acesso à conta no Booking entre os dias 12 e 16 de junho. Inicialmente, os donos do Marino pensaram ser falha do próprio Booking.

Só descobriram a invasão ao ver que o hacker colocava o preço de cada quarto a 40 euros pela diária, cerca de R$ 220. O preço normal das reservas fica entre 200 e 300 euros por noite, ou R$ 1.090 e R$ 1.640. A “promoção” atraiu mais de mil reservas nos quatro dias em que o hacker manteve a conta do hotel sob sua custódia.

O prejuízo total ainda está sendo calculado, da parte do hotel e dos turistas que fizeram as reservas. Os donos do Marino Boutique Hotel ainda não decidiram se vão processar a plataforma de reservas. Eles destacam que o Booking foi lento no bloqueio do acesso do hacker à conta.

Em entrevista ao canal português TVI/CNN Portugal, o aplicativo respondeu que, “dada a natureza das queixas”, vão “conduzir uma investigação completa do que aconteceu”. “E, como é evidente, responderemos aos clientes afetados e ao parceiro hoteleiro”, completou.